Pular Introdução

Algum tempo atras o Flash da Macromedia foi uma das ferramentas utilizadas por desenvolvedores web que teve o maior impacto visual. O fato de poder criar vários conteúdos na tela e expor para o cliente uma interface web na qual o usuário não precisasse ficar recarregando as páginas se tornou extremamente prático do ponto de vista do desenvolvedor.

O problema do Flash é muito simples de entender, em primeiro lugar, para se poder desenvolver aplicativos com esta ferramenta é necessário um investimento de algumas centenas de dólares para poder ter a licença da ferramenta de desenvolvimento, além disso, para rodar nos computadores, desde o inicio o plugin do flash precisaria ser instalado manualmente pelos usuários, o que sempre teve uma certa resistência por medo de contrair vírus com o downoad. Talvez o mais agravante de tudo seja o peso dos aplicativos em flash, que exigem em sua maioria uma quantidade de dados maior a serem transferidos para rodar os aplicativos em flash.

Desde sua utilização inicial, os sites que utilizam uma introdução em flash acabaram tendo de colocar o famoso “Pular Introdução” que no final das contas acabou por demonstrar o quanto não estava sendo aceito este tipo de conceito de aplicativos na web.

Embora o flash tenha seu valor, ele não serve como elemento central para o desenvovimento de aplicativos web, e cada vez veremos menos sites inteiros em flash por causa disso.

Outro fato a ser considerado ao pensar no flash como plataforma para desenvolver um site é que como os elementos do aplicativo são geralmente visualizados dentro do próprio aplicativo, isso significa que os conteúdos não tem um endereço próprio. Para um site com constantes atualizações, o flash pode se tornar um imenso problema, para recomendar um conteúdo específico dentro de um aplicativo em flash é necessário se informar o URL do flash e depois gerar instruções de navegação para quem você vai recomendar o link, desta forma tornando todo o processo de recomendação extremamente complicado e ineficiente.

Embora sites em flash tenham se tornado um problema, existem conceitos de utilização de flash que são extremamente eficientes, como por exemplo players de vídeos e audio. Com a tecnologia do flash é possível incorporar de forma fácil elementos mutimidia em sites, o Youtube se vale do flash para seu player, e até o Google Reader utiliza um player em flash para os podcasts.

A forma mais facil de incorporação de elementos de áudio e vídeo hoje são feitas com flash.

Flash também é excelente para utilização em peças publicitárias digitais como banners.

Mas a utilização do flash já é tema para outra dia.