Presidente Bolsonaro tem decisão do amigo no STF para não exibir exame de Coronavírus

Após ter inúmeras vezes aparecido em eventos e acontecimentos públicos, durante a pandemia, entre multidões de pessoas que são consideradas Grupo de Risco, ou seja, pessoas que tem maiores probabilidades de morte em caso de contágio pelo Coronavírus, onde o presidente Jair Bolsonaro, atualmente em partido, apareceu esfregando o rosto e até mesmo tossindo, e depois falando com as pessoas, tocando nelas, pegando nos aparelhos celulares delas. Estas ações escandalizaram o mundo, onde o resto dos países todos os presidentes e pessoas da sociedade estão fazendo quarentena e evitando o contato.
Recentemente a comitiva do Bolsonaro que fez uma viagem aos Estados Unidos, acabou tendo uma grande quantidade de pessoas declaradas infectadas pelo vírus Covid-19. Pessoas que estavam junto com Bolsonaro, dentro do mesmo avião.
As suspeitas de que o presidente Bolsonaro estivesse contaminado inclusive durante os atos em que participou publicamente e que foi filmado tocando nas pessoas, cresceu e se tornou uma preocupação, pois seria uma imensa irresponsabilidade por parte de um governante, além de exibir publicamente total descaso com a vida das pessoas que o apoiam, também estar consciente de estar contaminando estas pessoas. Bolsonaro se recusou a mostrar os resultados do seu exame, que a principio havia sido notificado pela imprensa como positivo e logo em seguida como negativo, deixando a dúvida factual aberta.

Uma juíza havia determinado prazo limite para que Bolsonaro apresentasse os exames assim permitindo que todos, inclusive as autoridades soubessem da verdadeira situação, e portanto saber se Bolsonaro estaria, enquanto interagia com as pessoas, contaminado, ciente de estar contaminado e mesmo assim fazendo coisas que aumentam e praticamente garantem a disseminação e contágio do vírus.

Bolsonaro evidentemente se recusou a apresentar os exames, o que mais uma vez levou a ser cogitada a hipótese de impeachment do seu mandato, porém através de uma manobra política, Bolsonaro acabou sendo livrado por seu amigo no STF de apresentar os resultados.

O presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), ministro João Otávio de Noronha, derrubou hoje a decisão do TRF-3 (Tribunal Federal Regional da 3ª Região) que determinava que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) apresentasse os exames para detecção de covid-19.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) já descreveu a relação com o presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), João Otávio de Noronha, como "amor à primeira vista" e disse que as conversas com o ministro ajudam a formar opinião sobre o Judiciário. O discurso elogioso aconteceu em 29 de abril, durante a cerimônia de posse de André Mendonça como ministro da Justiça e de José Levi como advogado-geral da União.

Apesar do presidente ter direitos civis como todos nós, no momento em que ele está agindo de forma irresponsável, após recentemente ter saído informações inclusive de que o motorista do Bolsonaro testou positivo para o Coronavírus, seria bem importante saber se o presidente está ciente de estar contaminado e mesmo assim infectando pessoas.