Política de extermínio do Governo Brasileiro em relação ao Coronavirus

Apesar de nunca ser de fato revelada de forma oficial pelas entidades governamentais, a política que está sendo adotada pelo governo Bolsonaro é de extermínio. Se morrer pessoas "e daí?" é a fala central do presidente e sua postura é absolutamente direcionada para fazer com que isso aconteça.

 

A aposta errada com a vida do povo

A crença central é de que 70% dos Brasileiros irão contrair o vírus Covid-19, portanto acreditam que não se pode evitar este contágio. Sendo assim, parar as atividades seria apenas trazer novos problemas para o governo, que é completamente problemático.
É uma aposta extremamente alta, com a vida dos Brasileiros que infelizmente vivem no Brasil. A ideia de que o contágio em grande escala, aceleraria o processo de imunização da população além de ser um preço muito alto em vidas a pagar, não é garantido nem sequer de ser eficiente, pois nada garante que quem já pegou a doença estaria de fato imune, nem mesmo por um curto período de tempo, muito menos para a vida toda. De t odas as alternativas que se tem visto serem tomadas no mundo inteiro, a forma como o presidente brasileiro Bolsonaro (sem partido) tem lidado com a situação é alarmante em todos os sentidos. Pessoas especialistas do mundo inteiro alertam para a tragédia que está se encaminhando o Brasil diariamente.

Os dados pelo mundo revelam a realidade, Brasil omite os dados

Outros países com um número pequeno de contágios, já revelam dados assustadores de quantidade de mortes, porém no Brasil a estratégia governamental é de fazer o máximo para assegurar uma subnotificação, ou seja informar o menor número possível de casos contaminados e de mortes. Enquanto outros países adotam o teste em massa para a doença, no Brasil, apenas algumas pessoas foram testadas, um número realmente muito pequeno e que não tem como determinar a velocidade da disseminação da doença. Além disso, até mesmo profissionais de saúde que estavam fazendo testes nas pessoas acabaram sendo espancados e presos. Se torna claro que revelar o verdadeiro número de infectados e mortos não é do interesse do governo.
Assim como Bolsonaro demitiu o diretor do sistema de meteorologia e monitoramento espacial por revelar que o percentual de desmatamento da amazônia estava crescendo de forma amplamente acelerada desde que assumiu o governo o Bolsonaro, e assim como demitiu o diretor do Ibama que estava conseguindo prender grileiros e pessoas que estavam desmatando as florestas, e também como exonerou o Sérgio Moro por não compactuar em trocar chefes da Polícia Federal que estavam em posição de impedir investigações de mais de 19 familiares de Bolsonaro no Rio de Janeiro, o presidente Bolsonaro age para impedir que o povo Brasileiro possa se manter em quarentena.
Parte das ações que demonstra isso são os atrasos na miséria oferecida como auxílio emergencial, que tem deixado pessoas há meses esperando, além de remover certos grupos que tanto precisam do auxílio para não morrerem de fome, sendo obrigados então a voltaram a trabalhar e se exporem. Colocar funções como Cabeleireiros e Empregadas como serviços essenciais, entre outras opções que apenas revelam que o governo não tem nem sequer a intenção de ajudar as pessoas com míseros R$600,00.

O problema pode ser ainda maior levando em consideração que o Governo Brasileiro se ausentou da colaboração internacional em busca de uma cura ou vacina. A ideologia do Bolsonaro é de ignorar completamente a ciência, e portanto, investir em estudos e pesquisas seria ir contra sua própria crença pessoal e seu lema de governo (copiado do Nazismo), Brasil acima de todos, deus acima de tudo. Que literalmente se traduz em um "deus nos acuda" de desespero, mas sabendo da possibilidade quase nula da existência de um deus, e muito menos um deus intervencionista que interfira nas vidas individuais das pessoas, se torna então claro e evidente que quando por ventura este grupo de trabalho internacional conseguir encontrar uma solução científica, o Brasil estará entre os últimos da fila para receber qualquer tipo de acesso aos medicamentos. Novamente Bolsonaro prejudica o povo inteiro do Brasil com suas políticas ideológicas que são completamente fora do espectro do conhecimento real.
Mesmo que surja rapidamente uma cura, o Brasil não terá acesso a ela tão logo, e levando em consideração a forma como no Brasil o vírus está se espalhando até que esta cura surja, serão milhares infectadas, necessitando de milhares de vacinas, talvez milhões. Ninguém no mundo tem esta capacidade de produção, muito menos o Brasil, que nem sequer está colaborando em buscar por uma solução real.

Enquanto outros países como a Espanha já ultrapassaram o primeiro pico de contágio e estão lentamente e com muita precaução se abrindo novamente e saindo do Lock Down, Brasil que teve seus primeiros contágios iniciando em tempos similares, ultrapassa a cada dia a marca do dia anterior de mortos. é impossível não perceber a diferença absoluta nos resultados obtidos entre ambos países. Enquanto o Brasil tem o sistema de saúde completamente já saturado, em outros países, além do sistema de saúde ter se preservado, os países já começam a falar sobre uma reconstrução do país após esta devastação que foi causada pelo coronavírus.
Quando estes países estiverem reestruturando-se, o Brasil ainda estará lidando com a crise, e mesmo que você queira sair do Brasil, outros países não irão aceitar entrada de Brasileiros, afinal nenhum país vai querer arriscar que a pandemia se alastre novamente em sua população por causa da irresponsabilidade do Governo Brasileiro.

A partir de uma fala em uma live do filho do presidente, o Eduardo Bolsonaro, sem querer deixou bem claro e explicito qual será a política de governo com relação a pandemia e é de horrorizar. Tudo que se pensava de pior com relação ao Governo Bolsonaro se concretiza através da retórica do filho apelidado de "bananinha" na Internet.

Em um vídeo recente, Henry Bugalho sintetiza com exatidão todas as questões que estão permeando a sociedade Brasileira e a forma como o mundo enxerga o Brasil neste momento em que no Governo Brasileiro através do Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) abandona o povo a sua própria sorte.