No Brasil a empatia será menor que em outros lugares?

Henry Bugalho fez um vídeo onde ele foca bastante na questão da empatia humana em relação ao coletivo e como isso pode afetar em muito como o Brasileiro está reagindo ao vírus da Pandemia.
Ele tem razão em diversos pontos, afinal no Brasil existe sempre uma cultura de rivalidade e de desprezo. Brasileiro não admite que Brasileiro pode ser bom, e uma clara demonstração disso é a quantidade de pessoas que pagam muito mais para assistir bandas internacionais do que bandas nacionais.
Outro fator que para mim chama atenção é a incrível disparidade entre os pobres e os ricos, pois a desigualdade é imensa, fazendo com que as pessoas vivam em mundos as vezes completamente diferentes. Ser generoso nem sempre é fácil, pois em alguns lugares, até mesmo dar um copo de água para alguém pode ser considerado um prejuízo grande, tamanha a dificuldade que passam uma grande parte dos Brasileiros. Essa dura realidade pode sim em muitos casos fazer com que o Brasileiro seja menos empático, pois não tendo nem o suficiente pra si, quem dirá conseguir de pensar e se preocupar com o próximo.
Outro fator que precisamos também levantar é a questão das religiões, principalmente as seitas evangélicas que vem crescendo no Brasil fazem já alguns anos e que em suas retóricas religiosas vemos uma posição muito mais extremista com relação aos não religiosos, descriminação contra gays e contra outras religiões, principalmente contra religiões afro centradas, e por consequência descriminação contra afro descendentes.
Enquanto faltar oportunidade de ter tempo até mesmo de se auto conhecer, pois todo o tempo do Brasileiro é em busca pelo prato do dia seguinte, será difícil pensar em uma nação com um povo mais empático.

O problema é que a falta de empatia pode causar muitos problemas quando o momento vivido é a pandemia. Enquanto o mundo todo se fechou e alguns lugares já estão inclusive recomeçando, o Brasil segue como epicentro da pandemia do Coronavírus e nada indica que teremos uma melhora na situação.

Assistam o vídeo do Henry Bugalho e confiram as falas dele.