Ninguém quer receber evento que homenageia Bolsonaro em NY

Recentemente a câmara de comércio Brasil/EUA decidiu homenagear o Bolsonaro como o homem do ano, apesar dos graves problemas internacionais que o novo presidente brasileiro vem gerando, seja com a troca de embaixada Brasileira em Israel, seja com declarações ficticiosas de que o Nazismo de Hitler era de esquerda, assim como os bilhões em prejuízo que causou recentemente a Petrobras.
Acontece que o local escolhido pela entidade para fazer a homenagem é um museu de história natural, ou seja, algo que desfaz completamente o discurso obscurantista e criacionista do governo do atual presidente Brasileiro. Os representantes do museu evidentemente se revoltaram e reclamaram da presença de alguém que representa os valores opostos do que o museu representa sendo homenageado lá dentro. O próprio prefeito de Nova York postou um tuíte parabenizando a decisão do museu em cancelar o evento e ainda apontou que o presidente Brasileiro é racista, homofóbico e perigoso. Para piorar ainda mais as coisas, alguns Brasileiros desinformados decidiram taxar o prefeito novaiorquino de "Comunista". Trazendo mais vergonha para o país. Realmente um momento vexatório internacional para o Brasil.

Após este vexame, outro local foi escolhido, porém, pelo que se ficou sabendo, também foi cancelado.
o Filósofo e escritor Henry Bugalho fez um vídeo bem humorado sobre estes acontecimentos.

Como disse Henry no vídeo, aparentemente entidades sérias não querem se relacionar ao nome do atual presidente Brasileiro. O declínio na economia Brasileira e os problemas de mal estar internacional causados pelo Bolsonaro, além dos escândalos envolvendo seus filhos e até mesmo um vizinho de prédio, preso pela suspeita de assassinato de uma das mais importantes figuras políticas Brasileiras, a Mariele Franco, vem fazendo com que a figura de Bolsonaro sofra um desgaste sem precedentes. Inclusive tendo o pior índice de aceitação pela população nos últimos anos.

Nos mês final das eleições presidenciáveis no Brasil, onde o atual presidente se recusou a participar de debates, redes sociais com o Twitter e o Facebook excluíram milhares de contas falsas que faziam campanha para o então candidato, hoje nas redes sociais só o que se vê são pessoas extremamente arrependidas com o presidente eleito, e ele está governando o país a menos de 5 meses. O mandato, caso não sofra impeachtment, é de 4 anos. O mercado internacional vê com muita desconfiança o novo governo e os investimentos estão despencando.

Foto do post copiada do HuffPost