Na Câmara, Heleno defendeu punição a militar que participa de ato político

Militares da ativa não podem e serão devidamente punidos se aparecerem em manifestações políticas', afirmou Heleno quatro dias antes de Pazuello participar de evento com Bolsonaro.

 

Qual é o tamanho do desencontro entre os militares próximos do presidente Jair Bolsonaro para que em um dia um dos militares se posiciona de uma forma, e alguns dias depois, outro militar faz o exato oposto.

É claro que como militar, nenhum militar deve expressar posição política, pois ao fazer isso, como representante do exercito Brasileiro, pode fazer parecer, indevidamente, que o exército tem preferencia partidária, e isso é um enorme problema para a instituição que já não tem muito respaldo e nem respeito da sociedade. Além de ser uma das instituições mais caras que o Brasil mantém, é também assombrada com um passado recente de Golpe Militar e envolvimento até mesmo com atentados.

Embora muitas vezes o presidente da república faça acenos aos militares, tentando comprar sua lealdade aumentando salários, aumentando gastos, representantes  das instituições militares tem que honrar a farda e portanto precisam evitar envolver o exército com política, pois independente do partido que estiver no comando do país, o exército é um patrimônio do país, e não do partido político.
Infelizmente no Brasil o exercito Brasileiro já deu um golpe militar calcado exatamente sobre valores conservadores inventados, como por exemplo a ameaça comunista, que nunca existiu.