Marisa Lobo - A psicóloga cristã - recebe intimação do conselho de ética

Marisa Lobo. que divulga fortemente nas redes sociais que sua visão de mundo tem base no cristianismo, chegando até a citar o termo "psicologia cristã" recebeu intimação do conselho de psicologia devido a denúncias.

A própria Marisa Lobo revela o acontecimento, utilizando argumentos questionáveis para se defender, como por exemplo "coloquei psicóloga cristã porque achei bonito" evidenciando sua falta de profissionalismo e ética. Em vídeo anterior ela também argumenta que quem tem problemas com drogas "não tem jesus no coração".

Outro argumento utilizado por Marisa é de que existem outras pessoas que vinculam seu ofício a uma crença religiosa, e que se eles podem ela também deveria poder utilizar o dogmatismo religioso como influência diretora de sua moral, o que é por acaso incompatível com o exercício de sua profissão.
Ninguém pode fazer isso, e de fato se todos forem apontados, certamente haverão investigações pelo conselho.

Cabe lembrar que uma grande parte dos conflitos sociais dos quais toda a psicologia hoje trabalha para ajudar as pessoas é proveniente das crenças e de dogmas religiosos, onde um psicólogo precisa muitas vezes entender e poder remover o "véu" destas falsas morais. É claro que uma "psicóloga cristã" só pode piorar e prejudicar ainda mais a vida das pessoas com as quais ela tiver contato quando o caso for relacionado ao dogmatismo religioso. E por ter um "diploma" estas pessoas podem acabar interpretando a posição da Marisa Lobo como uma posição de toda a psicologia, quando de fato não é.

Nenhuma pessoa deveria relacionar sua profissão á religião principalmente quando a profissão é derivada da ciência, onde a hipótese de um ser supremo já foi amplamente desacreditada após séculos de estudos diretamente sobre o tema.
O conselho de ética é formado por psicólogos que felizmente são responsáveis e estão agindo para proteger a idoneidade da profissão. O processo é legítimo e legal, infelizmente Marisa Lobo não consegue discernir sua própria falha e ainda segue afirmando ser perseguição religiosa, quando em realidade, quem está quebrando as normas, sem argumentos científicos para justificar a conduta, é ela.

Não é perseguição religiosa, pois não se está perseguindo uma pessoa por sua religião, e sim está sendo processada por utilizar sua religião em relação com seu trabalho de psicóloga, onde não é permitido este tipo de relacionamento.

Não pode haver diferença no resultado de tratamento psicólogico ministrado por psicólogos que são cristãos, ateus, budistas, etc, todos precisam trabalhar e agir dentro das normas e das regras de sua profissão, e Marisa Lobo vem causando preocupação na Internet já faz um bom tempo com suas morais religiosas.

Veja abaixo o vídeo de Marisa Lobo onde a psicologa comprova as alegações do conselho e ainda falha em justificar sua prática.

Marisa Lobo pede aos "irmão" para "bradar" em sua defesa, mas, o que tem representantes da igreja a ver com a ética no trabalho dos psicólogos? Não é uma questão que o ponto de vista religioso tem direito a dar parecer.

No final do vídeo, Marisa Lobo ainda retoma a velha ameaça religiosa de que "todo mundo tem medo" na hora da morte, e que ela "quer ver pra onde você vai", como se isso fosse justificativa suficiente para acreditar nos conceitos bíblicos de céu e inferno.

Marisa Lobo se esconde atrás de seu diploma para dizer que é "inteligente", porém afirma que o conselho não quer que cristãos estudem, quando na verdade, o que está acontecendo é justamente o contrário, o fato de terem estudado, deveria de ser o suficiente para saberem evitar a utilização da religião em sua prática da psicologia, e que alguém como a Marisa está na verdade desfazendo de todo o aprendizado, ou talvez até demonstrando não ter aprendido a profissão de forma adequada, tendo em vista como se expõe misturando crenças pessoais com estudos científicos de sua profissão.

A Marisa Lobo falha também quando fala sobre direitos humanos, pois são justamente as organizações dos direitos humanos que já emitiram nota oficial condenando o cristianismo como uma crença imoral e adversa aos direitos humanos, demonstrando claramente seu desconhecimento aprofundado sobre mais de um tema, e é claro, sempre tentando favorecer sua crença.

Certamente a Liga Humanitária Secular Brasileira deve poder explicar melhor que eu o quanto o dogmatismo religioso fomenta e justifica crimes contra a humanidade.