Jornalista Glenn Greenwald denunciado pelo MPF

No Brasil o jornalismo está sob ataque direto do governo. Enquanto filhos e familiares do presidente são investigados por diversas irregularidades, os ministros fazem horrores em seus cargos. O ministro Sérgio Moro, que recentemente teve seu trabalho enquanto juiz vazado pelo The Intercept durante a Lava Jato, demonstrando nítidamente sua atuação em conjunto com a acusação e portanto possívelmente interferindo diretamente inclusive nos resultados das eleições que por fim acabaram favorecendo o atual presidente que o deu o cargo de ministro. Agora, o MPF inicia uma investigação onde Glenn Greenwald, um jornalista renomado e premiado internacionalmente é investigado. Algo que é ilegal no Brasil. A liberdade jornalistica precisa ser preservada para evitar a censura governamental e o que estamos vendo hoje com esta ação do governo é equiparável a ações de paises totalitários.

Henry Bugalho fez um vídeo onde ele vai a fundo na questão sobre os textos e as motivações por trás desta pavorosa tentativa de intimidação contra o jornalista, que é na verdade uma forma de tentar intimidar todos os jornalistas que estao divulgando conteúdo contra o governo. Simplesmente Bolsonaro não quer que as péssimas notícias que são constantemente derivadas de suas atuações políticas na esfera nacional e internacional, além de seus familiares, que também possívelmente estejam envolvidos com crimes, sejam acessadas pelo público e pelo povo.

Até o momento não houve investigação oficial contra o Sérgio Moro e nem ele foi retirado do cargo após os escandalos envolvendo sua atuação na Lava Jato.
Na Internet pessoas chegam a inventar desculpas para justificar as ações do então juiz, assim enfraquecendo o interesse para que uma investigação séria seja implementada e uma verificação factual seja feita para comprovar que a atuação do Moro foi de fato ilegal, pois isso também significaria a anulação provável das eleições e da própria Lava Jato.