Informação em grande volume

Quando paramos para analisar as estatistias de nossos próprios sites já podemos ter uma visão de como dados que vistos de outra forma poderiam parecer insignificantes, mas dado a estrutura certa de análise podemos entender até mesmo um pouco do psicológico dos leitores e utilizadores dos sites.

 

Imagine você ter disponível em seus bancos de dados informações de bilhões de pessoas, suas preferências, suas conexões familiares, seus horários, e até mesmo o local onde elas estão em tempo real.

 
Uma capacidade avançada de análise e você pode começar a fazer perguntas das mais variadas e obter respostas para questões que podem fazer toda a diferença para qualquer um de seus projetos, de fato, uma ferramenta como esta pode ajudar em grande escala a determinar problemas que precisam de solução, podem ajudar a monitorar o que for preciso e ainda manter um feed em tempo real das atualizações.

Estamos frente ao incrível, estamos frente ao novo horizonte, estamos no ápice de nossa era, e ao mesmo tempo, todas estas informações pertencem de fato a vários grupos, e o acesso a todos não está disponível, afinal as pessoas precisam de privacidade.

Determinar o que é privado e o que é informação pública ainda é algo muito flexível, onde para uns é vantajoso que todos saibam seu endereço, para outros nem tanto, onde para uns exibir suas fotos online publicamente é divertido, para outros compartilhar fotos é algo extremamente pessoal.

Estas questões vão surgindo ao passar dos meses, e cada vez mais a legitimidade de cada usuário começa a ser questionada.
Por exemplo, como podemos interagir em uma rede de informações de compartilhamento de opiniões, se temos uma rede paralela de disseminação de informações com fins e objetivos comerciais atuando em conjunto e em grande escala? Estariam as pessoas abertas o suficiente para aceitarem como pessoa as entidades, que no final das contas causam um peso na formação de opinião, ou deveriam as pessoas buscar se distanciar da conectividade com o mundo corporativo ou entidades que são "programadas" ou "configuradas" para interagirem a partir de estímulos?

Acontece que o mundo real precisa se encontrar no mundo digital, e nem sempre a realidade virtual vai simular a realidade física, na Internet a liberdade é sem dúvidas maior, portanto o debate e polarização é comum, e tem todas as possibilidades de se aprimorar e ser cada vez mais saudável.

A grande quantidade de informações disponíveis deveriam de poder ser melhor ou mais amplamente analisadas, porém infelizmente a grande parte destas informações estão disponíveis apenas em pequenos grupos, que por questões legais não podem analisar estas informações, e nem compartilhar elas.

Chegaremos será em um tempo em que as informações privadas não existirão, mas teremos mais compreensão e portanto mais capacidade de solucionar problemas? Ou será que estas informações que hoje, doamos livremente na Internet serão utilizadas para algum meio de descriminação e alienamento de grupos?

Com grandes volumes de dados vem grandes responsabilidades.

Você acha que todas as informações deveriam ser livres?