Häxan: Bruxaria através dos tempos - Cinema Mudo - 1922

 

Tradução da descrição em inglês do filme:

 O escritor e direto Benjamin Christensen mostra uma visão histórica das bruxas em sete capítulos neste cinema mudo.

Começa com um slide-show alternando títulos com pinturas e desenhos tratando do comportamento das culturas pagãs da Idade Média com relação a sua visão de demônios e bruxas.

Depois vem uma dramatização da situação das bruxas na Idade Média, com os feitiços e as caças a bruxas.

Finalmente, Benjamin Christensen compara o comportamento de histeria da mulher moderna de 1921 com o comportamento das bruxas da Idade Média, concluindo que elas são muito similares.

 

 

 

Acontecem umas cenas cavernosas neste filme, mostrando a hipocrisia da sociedade, e principalmente da igreja católica e seus inquisitores.

Mulheres sendo torturadas, e a forma como a igreja criava falsas evidências de bruxaria.

Algumas das animações na primeira parte são muito interessantes principalmente levando em consideração a época em que o filme foi concebido.

Objetos de cenário são clássicos de terror, bruxas voando, feitíços, e até mesmo um esqueleto de um cachorro sobre um caldeirão, fora os climas escuros e as maquiagens e fantasias utilizadas pelos atores e atrizes no filme tornam o visual interessante de assistir.

Apesar de ser cinema mudo, é possível entender a trama e a forma como as pessoas utilizavam a crença no diabo como forma de punir outras pessoas.

As vezes tomando um formato de documentário o filme apresenta algumas informações e imagens que são explicadas formalmente.

 

Acho principalmente interessante poder postar este vídeo porque ele representa uma idéia que morreu em nossa sociedade, porém ainda temos e sofremos com as rebarbas medievais em forma de igrejas e religiões.

O impressionante ao meu ponto de vista é que as pessoas ignoram completamente que a mentalidade medieval que desimou mais de 8 milhões de mulheres e crianças, é proveniente de uma instituição muito conhecida nossa ativa até hoje.

Seus simbolos estão em nosso plenários, câmaras municipais, prefeituras, bancos, e até pet shops, suas igrejas estão em nossas cidades, seu sinos tocam atrapalhando a paz da vizinhança e seus membros não pagam impostos.

 

Até hoje, a igreja católica continua agindo como um elemento negativo na sociedade, disseminando seu preconceito infundado, seus dogmas infantis e coletando o maximo de doações quanto conseguirem convencer os seus adeptos a doarem.

Falta gente honesta e decente com vergonha na cara para tornar público o fato de que estas instituições de fato nada contribuem com o bem de ninguém através de sua doutrina religiosa.

 

Para piorar a situação, existe essa nova leva de igrejas evangélicas, com pessoas que afirmam fazer milagres, afirmam que a cobra falante era real, assim como são reais para eles também a existência do diabo, igual ao  pessoal medieval caricaturado do filme.

 

É as vezes até preocupante ver como depois de tantos anos, na verdade pouca coisa mudou,  quantas pessoas ainda vivem em um mundo fantasioso e perigoso onde qualquer pensamento pode ser o ingresso para o inferno.

 

É lamentável que tenhamos como sociedade,  que ainda arrastar esta bola de chumbo pelos tornozelos, uma instituição que apenas demanda respeito sem merecer, que suga recursos indevidamente do estado, e portanto de todos nós, e que não tem nenhum valor moral realmente diferenciado em relação a pessoas que não são desta religião.

Quanto tempo será necessário ainda para que possamos de maneira direta debater, baseado exclusivamente em fatos, a necessidade da presença desta crença na sociedade? Talvez o mesmo tempo que será necessário para disponibilizar acesso a informação e desenvolver pensamento crítico em toda população.

É sabido que acredita em qualquer uma religião as pessoas que desconhecem a origem da mesma, e a partir do momento que entendem as origens de sua crença descobrem a grande farsa na qual estão envolvidas.

Umas pessoas abandonam a religião, mas outras, seguem, talvez por não terem mais como fazer uma escolha em suas vidas, ou porque a religião lhes proporciona o status dentro da comunidade que esta pessoa não obtem em outras comunidades.

 

Acho importante de tempos em tempo tocar nesta assunto e clamar por providencias em busca da desmistificação da religião e clamar também a favor da escrutinia completa e total de suas atividades, intenções, motivações e a verificação entre os resultados obtidos em compartação aos resultados prometidos.