Gabriela Prioli: Poítica de Drogas e Descriminação

Encontrei este vídeo da Gabriela Prioli e achei legal compartilhar aqui para depois comentar sobre a questão das drogas no Brasil.

Não é novidade para ninguém que a grande maioria das pessoas que estão presas por "trafico de drogas" no Brasil são pretas e pobres. Existe uma seleção entre a criminalização de pretos que utilizam drogas e brancos ricos que utilizam drogas. Podemos ver isso claramente quando começamos a analisar os casos onde por exemplo pessoas brancas com uma quantidade muito maior de drogas são consideradas usuários em comparação a pessoas pretas pobres que são consideradas e condenadas por tráfico de drogas.

Tanta desigualdade no tratamento destas pessoas pela polícia e por todo sistema judiciário Brasileiro demonstra um problema grave na sociedade. O mesmo acontece em outros países onde o racismo é evidente e institucionalizado como nos EUA.
O resultado é que ficam ainda mais evidentes as desvantagens e vantagens de certas pessoas na sociedade. Estigmatizando cada vez mais um grupo e favorecendo outro.

A questão das drogas porém como um tudo é algo que deveria ser revisto com uma certa urgência, pois uma grande parte do sistema carcerário no Brasil está sobrecarregado principalmente por usuários que foram condenados como traficantes, além de outras ações relacionadas diretamente com o uso ou venda de substâncias ilícitas.
Acontece que se torna uma absoluta hipocrisia impedir pessoas a consumirem o que elas quiserem, ainda mais sabendo que mesmo senso ilícito, mesmo sendo proibido, a população como um todo segue consumindo regularmente as drogas. A tal chamada "guerra contra as drogas" nunca funcionou e nunca vai funcionar, pois a procura pelas drogas é sempre muito maior do que todo o efetivo policial, e só serve mesmo para no final, desviar dinheiro público para ações policiais que nem precisariam ocorrer caso as drogas não fossem proibidas.
Da mesma forma, todos os presos que são um peso para o estado estando encarcerados, não estão de fato produzindo e até mesmo dentro das cadeias, seguem consumindo as drogas. Inclusive há relatos de policiais que consomem drogas, assim como militares que fazem trafico de drogas e até mesmo venda de equipamento militar para os traficantes de drogas.

A descriminalização das drogas no Brasil seria um enorme alívio para o governo em amplos sentidos.

Em primeiro lugar o estado descriminalizando a produção, venda e consumo das drogas estaria deixando de gastar uma fortuna de dinheiro do povo para manter usuários e traficantes pequenos presos, ao mesmo tempo as operações policiais que as vezes levam meses, e custam fortunas também ao bolso do Brasileiro contribuinte deixariam de ter necessidade de existirem, e finalmente, todo o custo do sistema judiciário que consome outra enorme fortuna para assegurar julgamentos e os processos, cessariam.
Seriam milhões, talvez até bilhões que deixariam de ser gastos pelo governo do dinheiro do povo.

Em segundo lugar, traficantes e facções de crime organizado perderiam uma das suas principais fontes de renda. A medida que as drogas passam a ser legalizadas, estas organizações criminosas não tem mais como lucrar com a venda que poderia ser feita por qualquer mercado ou tabacaria por exemplo.
Enfraquecendo as fontes de renda do crime organizado traria menos violência dentro das comunidades mais carentes e também significaria menos confrontos policiais, resultando em menos mortes e menos perdas de vidas humanas.

Em terceiro lugar, com a droga regulamentada, ela teria um controle muito maior para quem seria vendida. Hoje no Brasil traficantes não tem a necessidade de comprovar a idade do comprador, e portanto, dependendo do traficante, drogas são vendidas até mesmo para crianças. Existem centenas de relatos onde até mesmo as crianças são utilizadas pelas facções criminosas como meio de transportar drogas. A regulamentação faria acontecer com a droga o mesmo que acontece com a industria tabagista e das bebidas alcoólicas, seriam vendidas em estabelecimentos comerciais e com a responsabilidade de exigir documentação e idade mínima para o consumo.
Outra vantagem seria que as drogas teriam procedência e controle de qualidade, o que significa menos casos de misturas maléficas nas drogas e portanto menos casos de intoxicação ou até mesmo de doenças provenientes de elementos tóxicos misturados nas drogas.

Em quarto lugar, o mais importante, com a legalização de fabricação e comercialização de drogas, o governo poderia taxar estes produtos. No Brasil um dos produtos que mais é taxado é a cachaça por exemplo, as drogas poderiam ser taxadas gerando uma grande receita para o estado, que por sua vez poderia reverter grande parte desta receita em saúde e educação para a sociedade.
Uma sociedade saudável e instruída terá menos risco de ter cidadãos se deixando levar pelo abuso de drogas e até mesmo evitariam o vício.

Resta questionar por que o estado até hoje, apesar das diversas demonstrações de como pode dar certo a legalização como foi feito em tantos outros países, até hoje evita este assunto e não tem ação alguma em mudar estas leis defasadas e injustas que apenas atravancam e precarizam a sociedade.
Será que dentro da política existe quem possa estar diretamente se beneficiando com isso? Será que o tema é tóxico de mais para uma sociedade que as vezes parece ser pouco  capaz de debater assuntos sérios e os políticos tem medo de perder seu eleitorado fazendo a coisa certa por ser inicialmente impopular?