Evangélico Moacir Fermino coloca inocente na cadeia após "revelação divina"

Um caso estranho chama atenção no Rio Grande do Sul por demonstrar como a religião pode ser nociva e corrosiva a sociedade. Moacir Fermino, um delegado suplente, ao assumir o cargo colocou pessoas inocentes na cadeia após afirmar que teve uma "revelação divina" em que lhe foi revelado os criminosos.

Este tipo de comportamento religioso não é isolado, afinal religião insiste em justamente ignorar fatos e evidências. O que não fica claro é como uma pessoa em um cargo público trabalha utilizando superstição religiosa? Polícia tem sua chancela da sociedade justamente por usarem métodos científicos e forenses para fazerem investigações. No caso de Moacir Fermino ele não usou nada além de sua crença religiosa para tomar decisões sobre as vidas de outras pessoas.

O delegado Moacir Fermino, da Polícia Civil, que investigava a morte de duas crianças esquartejadas, afirmou que havia solucionado o crime por causa de uma “revelação de Deus”.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, contou que profetas teriam indicado os caminhos para a investigação, apontando quem ele deveria ouvir. Mandou prender o líder de um templo de umbanda, Silvio Rodrigues. Evangélicos vem praticando intolerância religiosa com o umbandistas fazem anos, e não são poucos os casos de terreiros e templos de umbanda que são atacados por evangélicos que vem sendo notificados pela imprensa no Brasil inteiro.

Na manhã de segunda (8 de janeiro), Fermino convocou uma coletiva de imprensa e anunciou que sete pessoas teriam envolvimento no crime - dessas quatro já foram presas. Ainda durante a manhã, o policial afirmou ao programa Timelime da Rádio Gaúcha que teve uma "revelação de Deus" e que profetas teriam indicado os caminhos para a investigação, inclusive apontando quem ele deveria ouvir. - GauchaZH

Este é um caso que coloca em questionamento a utilização de crença religiosa para tomar decisões. Infelizmente, o resultado para o cidadão preso foi trágico,

Resta saber se o delegado evangélico terá algum tipo de punição.

 

O que tínhamos é mentira, uma farsa". Assim o delegado Rogério Baggio, que preside o inquérito que apura a morte de duas crianças encontradas esquartejadas em Novo hamburgo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, em setembro de 2017, resume o caso. Em coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (7), ele destacou que a investigação volta" ao zero "e que as testemunhas que basearam as ações da Polícia Civil mentiram. - Jusbrasil

 

Veja mais matérias sobre este caso nos links abaixo:

Chefe de Polícia Civil convoca reunião após delegado citar "revelação divina" sobre ritual satânico.

O caso bizarro do delegado evangélico que diz ter recebido revelação divina para solucionar mortes no RS e atribui culpa à um templo satânico.

Reviravolta no caso do Templo satânico no Rio Grande do Sul
testemunhas mentiram e Delegado será investigado