Equipamentos de trânsito aumentam a segurança na volta às aulas

O retorno às aulas exige uma maior atenção dos motoristas nos próximos dias. Isso porque o movimento de veículos nas ruas torna-se 20% maior - segundo estimativa da Superintendência de Trânsito (Setran) - nos horários de entrada e saída das escolas de ensino fundamental, médio e superior.
Os dados emitidos pelos radares comprovam que os equipamentos conseguem reduzir em até 35 vezes o comportamento irregular dos condutores em locais em que estão instalados, inclusive no entorno das escolas.
Os radares são dotados com tecnologias que variam entre o laço indutivo, doopler (ultrassom), laço virtual (cálculo sobre imagem) ou laser. Com isso, são capazes de capturar informações sobre presença e tempo de passagem dos veículos, permitindo registrar estatísticas e as infrações de trânsito como, por exemplo, veículos acima da velocidade permitida, parada sobre faixa de pedestres, avanço de semáforo no vermelho, fluxo em contramão e conversão proibida.
Por isso, o respeito ao limite de velocidade de 30 km/h na proximidade das escolas e a atenção redobrada para a travessia das crianças são essenciais para evitar acidentes. Também é fundamental que a travessia das crianças seja feita pela faixa de pedestres e os motoristas devem evitar estacionar em locais proibidos ou parar em fila dupla e tripla, o que prejudica muito o trânsito nestes locais.
O especialista em mobilidade, Guilherme Araújo, conta que existe uma relação óbvia de redução de mortes e de acidentes de trânsito com o incremento da fiscalização eletrônica. "O monitoramento auxilia as administrações de trânsito municipais e estaduais no planejamento, reduzindo os riscos de mortes causadas por acidentes”, afirma Guilherme.
Segundo ele, isso acontece porque existem equipamentos que conseguem emitir informações relevantes, como é o caso dos que controlam velocidade. "Medir é uma forma de gerenciar e possibilitar a tomada de decisões de forma assertiva”, completa Guilherme que também é diretor-presidente da Velsis, empresa que fabrica equipamentos de mobilidade instalados em mais de 301 municípios, entre eles, Curitiba, São Paulo, Salvador e Aracaju.
A Escola Pública de Trânsito (EPTran) destaca que os condutores têm que ter em mente que os pedestres, sejam eles adultos ou crianças, têm preferência. Além disso, o alto número de veículos e pedestres nas regiões escolares também podem causar altos índices de estresse e nervosismo, o que piora toda a situação. Diante disso, Guilherme diz que quem vivencia essa rotina diariamente sabe que o cenário é inevitável, mas o importante é respirar fundo e manter a calma.
“Um ambiente com grande número de pessoas circulando torna o trânsito de veículos mais perigoso. As pessoas mudam de direção com facilidade, e as crianças ainda mais. Muitas vezes elas estão focadas em outra coisa que não a via, os veículos e cuidados que devemos ter, principalmente se já estiverem ao celular”, aponta Guilherme.
Segundo o especialista, o uso do aparelho é uma das situações mais preocupantes quando se fala em crianças, adolescentes, motoristas e o trânsito. "Isso porque, no caso dos adolescentes, a desatenção costuma vir acompanhada do uso de fone de ouvidos, fato que prejudica ainda mais a concentração. Nesses casos, o estudante pode ignorar tudo ao redor, como carros, motos, bicicletas e o que estiver pela frente", completa.
Dicas de cuidados na volta às aulas:

 

- Sair mais cedo de casa;

- Estacionar antes da escola;

- Se não precisar, não passar na frente das escolas;

- Ficar atento ao limite de velocidade de 30 km/h próximo às escolas;

- Os responsáveis devem redobrar a atenção na hora de deixar e buscar os estudantes na escola, atravessando na faixa de pedestres e segurando a criança pelo pulso - pela mão, ela pode se soltar facilmente;

- É proibido parar em fila dupla para embarque e desembarque. Se necessário, estacionar o veículo em local permitido para acompanhar o filho a pé até a entrada da escola;

- No interior do veículo, usar o dispositivo de retenção adequado à faixa etária da criança;

- Sempre respeitar a sinalização de trânsito, organizada de forma a garantir mais segurança a todos;