Digg é vendido após declínio para virar novo startup

Digg, que algum tempo atrás revolucionou a internet trazendo o conceito de compartilhamento de conteúdo e votação em conteúdo que é hoje amplamente utilizado pelo Facebook, Google Plus e outros sites, acaba de ser vendido. Dizem pela web que foi vendido por apenas 500 mil Dolares.

O Digg, de  Matt Williams que chegou a faturar mais de 45 milhões de Dolares  desde 2004 em investimentos agora será uma nova startup, com equipe pequena e tudo mais.

Agora uma incubadora de Nova York adquiriu o Digg para torna-lo parte do seu projeto news.me.

A decaída do Digg serve para mostrar como as vezes grandes ideias e ótimos start-ups podem acabar não tendo mais o mesmo valor social, e há quem diga que este pode ser o futuro próximo do Facebook.

Tudo começou a dar errado quando a nova interface do The New Digg entrou no ar no inverno Brasileiro de 2010, fazendo com que usuários começassem a abandonar a ferramenta.
Em  março de 2011, Kevin Rose (da foto e apresentador do Diggnation), co-fundador da empresa abandonou o projeto, e logo em seguida a empresa da The New York Times chamada Social Code começou a contratar parte da equipe do Digg.

Kevin Rose - Co-fundador do Digg e Apresentador do Diggnation

O Digg segue online, mas perdeu seu brilho, depois de tantas outras empresas incorporarem o que era sua ferramenta principal, o "curtir".
Agora só podemos esperar que o news.me consiga de alguma reforma reviver ou trazer  de volta o que fez tanto conteúdo se tornar relevante na Internet por tantos anos.

O desafio do Digg sempre foi trazer mais visibilidade para conteúdo compartilhado, com curadoria humana, similar ou StumbleUpon, por exemplo, mas, o desafio hoje é bem maior, com a quantidade de notícias gerada diariamente sendo maior que a capacidade de uma pessoa ver em um ano, o foco se torna em segmentar e individualizar os interesses, tarefa que não é fácil e até agora ninguém comseguiu formatar de forma eficiente.

Sentirei saudades do Diggnation que já acabou faz um bom tempo, e continuarei olhando de tempos em tempos as top notícias do Digg.

O que você achou desta mudança radical e  como você acha que isso pode afetar a percepção das outras redes sociais que tem segmentos similares?