Demissão de Mandetta pode representar aumento de mortes no Brasil

O Brasil está em um momento desesperador, com aumento recorde de mortes pelo Coronavírus. Justamente neste momento, o Ministro da Saúde, Luis Henrique Mandetta, que vinha desempenhando um papel fundamental para evitar a contaminação, por ter um discurso pró-ciência e ser a favor de não medir esforços para evitar o contágio em massa da população Brasileira, é demitido pelo presidente do Brasil Bolsonaro. Sua demissão evidenciou claramente ser motivada por razões ideológicos do presidente Bolsonaro, que vem agindo nos últimos tempos como uma pessoa completamente desequilibrada, indo para as ruas, sem proteção, tocando em pessoas, sendo que recentemente em sua volta de viagem dos EUA mais de 20 integrantes de sua comitiva foram infectados. Além disso o presidente tem principalmente feito discursos minimizando o risco de vida dos Brasileiros pelo contágio do Covid-19, contrariando todas as informações e dados vigentes em todos os países e organizações de saúde. Por causa de suas ações desmedidas e irresponsáveis houve pedidos de que seja efetuado um exame psiquiátrico do presidente, pois há indícios que sua saúde mental esteja abalada.

Bolsonaro vem sendo criticado internacionalmente por sua postura que vai contra todos os demais países e todas as recomendações da OMS (Organização Mundial de Saúde). Sua atitude irresponsável no cargo já rendeu diversos pedidos de impeachment, mas mesmo assim o presidente Bolsonaro segue em sua cruzada que tem visão unicamente extremista religiosa, acreditando que com oração e jejum pessoas poderiam se livrar do vírus.

Depois de meses de discursos desencontrados, o Bolsonaro, sem conseguir fazer o ministro Mandetta ignorar o dados científicos, as recomendações da OMS e percebendo que o ministro estava se tornando cada vez mais uma esperança nos olhos da população, faz o que um covarde faria, despediu o ministro e colocou em seu lugar alguém que esteja disposto a obedecer suas ordens, por mais inadequadas e incoerentes que sejam, como vem fazendo com todos seus subordinados.

Para a população, a esperança de que haveria seriedade no governo para lidar com esta grave crise, desaparece junto com o ministro Mandetta e no lugar fica apenas a incerteza, algo que é constante no governo Bolsonaro, pois tudo é tão incerto e desequilibrado que na Internet as pessoas chamam com frequência de "desgoverno" esta gestão.

 

Bolsonaro se vê cada vez mais isolado. O povo Brasileiro já não acredita mais no presidente e agora o sistema de saúde do Brasil não sabe que problemas terão de enfrentar devido ao novo ministro ser submisso ás vontades e ideias completamente ideologicamente enviesadas do presidente. Se por acaso o presidente Bolsonaro tentar evitar a quarentena, para tentar fugir de dar dinheiro para as pessoas poderem sobreviver durante a crise, ele estará condenando todo sistema de saúde, além de colocar em risco uma enorme quantidade da população Brasileira.
Enquanto tudo isso acontece, os hospitais em cidades com densidade maior de pessoas, estão sentindo os efeitos da sobrecarga de demanda de trabalho e ao mesmo tempo a falta evidente de equipamentos básicos para conseguirem atender a população.