Combustível a partir de dióxido de carbono na atmosfera

Descoberta pode permitir que cientistas consigam gerar combustível a partir de dióxido de carbono na atmosfera.

130326112301

O excesso de dióxido de carbono na atmosfera terrestre criada pelo consumo demasiado de queima de combustível fóssil é a principal causa da mudança climática global e pesquisadores pelo mundo todo estão buscando novas maneiras de gerar energia sem fazer tanta poluição.

Agora pesquisadores da universidade de Georgia encontraram uma maneira de transformar o dióxido de carbono da atmosfera em produtos de utilidade industrial. A sua descoberta pode em breve gerar a criação de biocombustíveis feitos diretamente do dióxido de carbono que está no ar que é responsável por impedir o acesso dos raios solares e o aumento de temperatura global.

"Basicamente o que fizemos foi criar um microrganismo que faz com o dióxido de carbono o mesmo que que as plantas, absorvem ele e transformam em algo útil.", disse Michael Adams, membro do UGA do Bioenergy Systems Research Institute na Georgia, professor de energia de biotecnologia e Distinguished Research Professor de bioquímica e biologia molecular no Franklin College of Arts and Sciences.

Durante o processo de fotossíntese  plantas utilizam a luz solar para transformar água e dióxido de carbono em açucares que as plantas utilizam para gerar energia, de forma similar ao humano que consome calorias da comida.

Estes açucares podem ser fermentados em combustíveis como o etanol  mas tem se provado extremamente dificultoso extrair os açucares que estão aprisionados dentro das paredes de células complexas das plantas.

"O que este estudo significa é que podemos remover a planta como intermediador" - disse Adams, que é co-autor do estudo detalhando seus resultados publicados mas cedo na edição online do Proceedings of the National Academy of Sciences. "Nós podemos pegar dióxido de carbono diretamente da atmosfera e transforar ele em produtos uteis como combustíveis e químicos sem precisar passar por todo o processo ineficiente de criar e esperar crescer as plantas para extrair os açucares da biomassa".

O processo é possível por causa de um microrganismo chamado de Pyrococcus Furiosus, ou bola de fogo com pressa, que vive em se alimentar de carboidratos nas super esquentadas águas do oceano perto de ventas geotérmicas.
Manipulando o material genético do organismo, Adams e seus colegas criaram uma espécie de P. Furiosus que tem a capacidade de se alimentar de dióxido de carbono em temperaturas bem mais baixas.
A equipe de pesquisa então usou gás hidrogenoide para uma reação química no microrganismo que transforma dióxido em acido 3-hydropropiônico, um químico comum industrial utilizado para fazer acrílicos e muitos outros produtos.

Com mais manipulações genéticas desta novo tipo de P. Furiosus, Adams e seus colega poderiam criar uma versão que gera outros tipos de produtos industriais, inclusive combustível, a partir de dióxido de carbono.

Quando o combustível gerado pelo P. Furiosus é queimado, ele lança na atmosfera o mesmo volume de carbono utilizado para criar-lo, tornando o processo carbono neutro, uma alternativa muito mais limpa que gasolina, carvão e oleo.

"Este é um importante primeiro passo que tem tem grande promessa como um método de baixo custo e eficiente para produzir combustível," Adams disse. "No futuro vamos aprimorar o processo e testar em grande escala".

A pesquisa foi financiada pelo Department of Energy como parte do Electrofuels Program of Advanced Research Projects Agency-Energy com o pagamento DE-AR0000081.

Fonte: Science Daily