Censura e reescrita da história Brasileira no governo Bolsonaro

Não é de hoje que já se sabe que o Bolsonaro é apoiador de ditaduras. Ele já inclusive elogiou ditadores e torturadores. Ele lida com a história do Brasil de uma forma negacionista, ele nega que tenha havido um Golpe Militar e que o Brasil sofreu uma Ditadura Militar, apesar de ser fato indiscutível entre historiadores e para as pessoas que viveram a repressão daquela época no Brasil.
São milhares de depoimentos, e muitos corpos e encontrados e mais ainda desaparecidos que revelam um período obscuro da história Brasileira. Também naquela época foi quando os militares mais ampliaram suas regalias, e onde contratos gigantescos eram gerados entre o governo militar e seus amigos.   Todos ganhavam ás custas do povo. Como não havia imprensa livre, a censura impedia que a roubalheira gigantesca dos militares no Brasil fossem divulgadas para o público e quem estivesse desinformado nem sabia o que estava realmente acontecendo nos bastidores dos militares no governo.

Hoje o governo reclama que os livros didáticos são instrumentos feitos para subverterem crianças em "comunistas", apesar de ser claro que a ameaça comunista da época da ditadura militar brasileira seja completamente falsa, e  mesmo sabendo que foi já descoberto que foi um militar Brasileiro que teria forjado documentos para causar a impressão de haver um movimento comunista, embora não houvesse. Sob a mesma desculpa, o governo agora ataca todas as frentes de ensino, cultura, e conhecimento, buscando combater inimigos imaginários, como desculpa para poder seguir atuando da forma descabida que vem fazendo. Empurrando sua agenda política que é totalmente embasada em cristianismo extremista e fundamentalismo religioso, que por sua vez é totalmente hipócrita, preconceituoso e ignorante.

Uma das maiores vergonhas que o Brasil passou recentemente foi ver seu presidente falando que livros "tem um montão de coisas escritas", e logo virou mais uma vez chacota em toda a Internet Brasileira e no resto do mundo.
O problema está justamente na intenção do Governo em alterar os livros didáticos para modificar a visão e compreensão sobre a história do Brasil, assim alienando de fato os jovens a acreditarem algo que não é verdade.
Não é a toa que jovens de escolas militares foram proibidos de participarem de campeonatos de conhecimento de história pelos diretores das escolas, afinal, se eles chegassem lá com as ideias falsas que eles aprendem em estas instituições, talvez fizesse mal par as entidade que já estão dando seus últimos suspiros.

Junto com a mudança nas informações dos livros escolares, o governo ainda propõe a criação de dezenas de escolas militares. As escolas militares recentemente tiveram seus alunos proibidos de frequentarem competições internacionais de conhecimento histórico justamente por causa da forma como a história Brasileira está sendo ensinada de forma doutrinal com viés ideológico.
Veja o vídeo abaixo do Meteoro e entenda um pouco mais sobre o que vem se passando no Governo Bolsonaro e por que este tipo de ação trará transtornos e prejuízos incalculáveis para o Brasil.
Apesar deste enorme problema, editoras e autores que se curvam diante deste viés ideológico do governo Bolsonaro tem muito dinheiro a ganhar omitindo e ocultando fatos.

O mais complicado de tudo é ter de justamente lidar com um governo que é basicamente fanático por um guru chamado Olávo de Carvalho que é quem está por trás das teorias conspiratórias que norteiam este governo.
Ao mesmo tempo, lidar com um governo que não acredita e nem aceita fatos históricos, nem dados científicos, e que apenas segue uma agenda política baseada em achismos e teorias conspiratórias, e que quer propagar estas teorias de conspiração global para a população Brasileira, deixando o povo cada vez mais alienado e sem poder real de decisão, assim assegurando e se perpetuando no poder uma corja de usurpadores que visam apenas o seu próprio bem, sem atuarem de forma alguma para o bem da nação ou do seu povo.