Carlos Bolsonaro posta imagem que simula tortura

Vereador no Rio, Carlos Bolsonaro (PSL), filho do candidato à presidência da República pelo PSL, postou no Instagram nesta quarta-feira 17, uma imagem que simula a tortura de um homem, que aparece com o rosto ensaguentado, envolto em um saco plástico. Ele traz pintada, no peito, a hastag #elenão, que tem sido usada nas redes sociais contra Jair Bolsonaro.

Na publicação, vereador atribuiu a foto ao perfil @direitapvh.

A iniciativa de Carlos Bolsonaro gerou muitas críticas na internet. Acusado de estimular a tortura, ele recorreu ao Twitter para dar sua versão para o episódio: “Novamente inventam como se eu tivesse divulgado uma foto dizendo que quem escreve a hashtag #elenao mereceria alguma maldade. Não, canalhas! Foi apenas a replicação da foto de alguém que considera isso uma arte. Me agradeçam por divulgar e não mintam como sempre!”, escreveu.

Fonte: Veja

A imagem revoltou muitas pessoas, principalmente depois da onde de ataques que estão acontecendo contra pessoas que se posicionam contra o candidato a presidência do PSL através de redes sociais e até mesmo agressões físicas que vem surgindo na Internet nas últimas semanas.
Jair Bolsonaro já deu declarações em vídeo de ser favorável a tortura (veja vídeo abaixo) e já homenageou o maior torturador da história do Brasil, Carlos Brilhante Ustra.

UPDATE: Carlos Bolsonaro será denunciado por apologia à tortura na Câmara do Rio

Vereador do PSOL acionará Comissão de Ética do Legislativo carioca após filho de candidato reproduzir foto que simula asfixia junto à frase do movimento contra ele #elenão

O vereador do Rio de Janeiro, David Miranda (PSOL), anunciou que vai apresentar uma denúncia contra o vereador por quebra de decoro em razão da reprodução da imagem que simula a tortura. Para Miranda, que é ativista LGBTi+, a postagem representa apologia à tortura e à homofobia. O candidato à Presidência do PDT Ciro Gomes também criticou o vereador e cobrou providências das autoridades. Carlos Bolsonaro é vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos no Rio de Janeiro. A bancada do PSOL na casa legislativa também assinará a denúncia por quebra de decoro. "Essa postagem não vai intimidar as mulheres e nem os LGBTi+ que se organizam contra essa família. Resistência é a única palavra de ordem", afirma o vereador David Miranda. O deputado federal Jean Wyllys (PSOL) também acionou o Ministério Público do Rio de Janeiro contra Carlos Bolsonaro. Segundo o deputado, a publicação lesa aos direitos humanos.

Fonte: El Pais