Brasil e Argentina assinam acordo para massificar o acesso à internet

Os governos do Brasil e da Argentina assinaram ontem (31), em Buenos Aires, um plano de ação conjunta para cooperação bilateral com objetivo de massificar o acesso à internet em banda larga até 2015 nos dois países, por meio da melhoria na qualidade de conexão e ampliação da disponibilidade do serviço.

O plano prevê a implantação de dutos para a passagem de cabos e fibra ótica entre os dois países, a integração das estatais de telecomunicações brasileira e argentina (Telebras e Arsat), a associação estratégica na produção de equipamentos e a troca de informações sobre programas e políticas na área industrial que ampliem o acesso a equipamentos.

Os dois países também devem desenvolver em conjunto conteúdos digitais e interativos e trabalhar em parceria para definir mecanismos de financiamento e acesso a crédito para projetos estratégicos na área sejam públicos ou privados.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que integra a comitiva presidencial que está na Argentina, destacou que o acordo garante o desenvolvimento integrado de políticas na área do acesso à internet e a novas tecnologias.

Também foi estabelecida a intenção de criar um Conselho de Alto Nível, que será integrado, do lado brasileiro, pelo Ministério das Comunicações e do lado argentino, pelo Ministério do Planejamento Federal, Investimento Público e Serviços e pela Comissão de Planejamento e Coordenação Estratégica do Plano Nacional de Telecomunicações Argentina Conectada.

Agência Brasil (por Sabrina Craide)

Fonte: Propaganda RS


O problema de criar um conselho para dois países, é que não precisamos de mais regras e controle na internet.  Na descrição publicada,  também não fica claro se é o acesso à internet para a população mesmo, ou se é o acesso a internet para os governos terem maior capacidade de disseminação massificada  de informações, com estratégias unificadas.

Sempre quando governos decidem criar uma entidade ou um conselho para gerenciar, pode ter certeza que lá vem um possível tentativa de impor mais regras. Quem irá definir este conselho? Os internautas? Acho improvável.

Minha esperança como internauta sempre será ver todos conectados com conexão boa sem ter de pagar os olhos da cara para baixar míseros gigas por mês.

O que você acha deste tratado já assinado?

Responda abaixo qual sua expectativa com um tratado como este.