Bolsonaro quer pagar a conta de luz das igrejas

Em entrevista recentemente o presidente brasileiro Jair Bolsonaro declarou que tem intenção de subsidiar a conta de luz elétrica das igrejas. Evidentemente se trata de uma ação populista, visando alegraros pastores que por sua vez irão incentivar seus rebanhos de fiéis a seguirem apostando no governo apesar de suas inúmeras falhas e fracassos.
A extrema direita brasileira é composta em grande parte por cristãos que se enchergam como conservadores, mesmo que isso signifique ter de ignorar fatos históricos como uma alemanha nazista que também era de extrema direita e conservadora até absurdos como as idéias de uma terra plana.

O erro maior está justamente em querer misturar o estado com a religião, que são duas coisas que juntas causam exstremo malefício para a sociedade, afinal as religiões em sua grande maioria, e principalmente o cristianismo evangélico que parece ser a fonte de conservadorismo da direita brasileira, não são entidades com representantes que tem uma retórica de paz, amor e liberdade individual. Pelo contrário, eles seguem justamente uma visão de mundo extremamente atrasada, ignorando fatos históricos, cientificos e inclusive com tentativas de reescrever a história para que pessoas vejam sua atuação como algo positivo.
A conta vai ficar inicialmente na casa dos 30 Milhões de Reais, porém evidentemente esta estimativa está completament equivocada e certamente após comprovação de que tal subsídio será fornecido o crescimento de igrejas será exponencial, assim como o consumo de energia elétrica por elas também aumentará.

De onde vem tanto dinheiro?

Ao mesmo tempo que o presidente não consegue fazer o pais crescer, ele já está projetando uma agenda de investimentos em entidades e iniciativas que não trazem reais benefícios para o Brasil. Desde o aumento de fundos partidários, onde quis colocar seu filho para gerir o fundo, e não foi aceito pelo partido, causando a decisão de criar um novo partido, até mesmo campanhas partifipação em alteração na forma como entidades culturais e de ensino devem se comportar. A intrusão do presidente Bolsonaro no país é sempre visando assegurar que o conservadorismo, que na verdade pode ser traduzido como ignrância e falta de conhecimento, será implementado, assim assegurando sua permanência no cargo de presidente.
Os 30 milhões que Bolsonaro pretende gastar pagando conta de luz de entidades que apenas inventam histórias ou disseminam lendas da idade do Bronze do Oriente Médio poderiam ser muito melhor investidos em estudos científicos que estão totalmente carentes e desamparados no Brasil.
O fato do presidente buscar como prioridade favorecer entidades religiosas que lidam com ficção ao invés de trabalhar com iniciativas que buscam incentivar o pensamento crítico na população revela que sua vontade de poder é maior do que sua compreensão sobre o cargo que exerce, e isso fica ainda mais comprovado com as escolhas de ministros e aliados no governo.

Impressionantemente o dinheiro que o governo retira da educação e da saúde, agora são revertidos para políticos e para entidades religiosas da preferência ideológica fundamentalista e conservadora do presidente.

Infelizmente estas entidades religiosas são culpadas de propagar e disseminar informações incorretas sobre a formação do mundo, do universo e até mesmo da natureza humana, criando mal estar entre a população que se vê diante de iversos conflitos com relação a liberdade de existir. Preconceito racial, preconceito de genero e desvalorização da cultura Brasileira em teatro, cinema, e até mesmo no respeito aos povos indígenas.

Um governo caótico, que dependeu amplamente de disseminação de notícias falsas e ferramentas de disparo de mensagens em massa de mentiras através de redes sociais, agora, apesar de ineficiente em solucionar os verdadeiros problemas do Brasil, estão cada vez mais buscando consolidar o que se asemelha a um estado teocrático ditatorial absolutista, inclusive querendo criminalizar partidos com visões opositoras para impedir que sejam derrubados de forma democrática.

 

 

Aonde toda essa problemática criada pelo governo vai levar o Brasil começa a ficar mais claro quando observamos as críticas de outros países e da própria mídia internacional que agora encherga o Brasil praticamente como uma nova frente nazista ou uma frente conservadora. A atuação dos governos pelo mundo em relação a praticamente qualquer atuação do governo é de crítica e de insatisfação, e em grande parte, descredulidade com relação ao Brasil.
Infelizmente depois de ter convencido tantas pessoas que as notícias falsas disseminadas, são reais, agora fica cada vez mais difícil para o povo Brasileiro conseguir se librar da tirania governamental e a conta só aumenta para o bolso do contribuínte enquanto que o mesmo tem cada vez menos liberdades.

Bolsonaro eleito se tornou um agente do caos no Brasil, criando toda sorte de confusão dentro do país e também de forma internacional. A população Brasileira porém, parece estar em um transe sem conseguir reagir. De fato são muitas as frentes de problemas gerados por este governo se tornando a cada dia que passa mais impossível acreditar que este presidente "tio do churrasco" consiga resolver qualquer coisa, e o Brasil está condenado a aceitar absurdo contínuos no governo.

O que resta agora é esperar por uma oposição madura e realista com relação a todos os erros deste presidente e etntar de alguma forma, remover ele do cargo de presidente sem que o Mourão assuma seu lugar.